Tudo bem. Sem crise

Inflação subindo; crise de emprego no país. Muita gente insatisfeita com o cenário econômico. É hora de pôr o pé no freio, dizem os economistas.

No entanto, tem alguns tipos de produto que têm um público bastante fiel. E mesmo em tempos de crise, continuam rendendo. É que os produtos que estão nesta faixa são aqueles que o consumidor não compra com regularidade mensal, ou até mesmo semestral.
Por isso, quando o produto acaba, ou está em vias de acabar, o consumidor já procura por outro para repor. São os produtos de beleza e perfumaria.

Estojos de maquilagem, perfumes… Mulheres que estão habituadas a usarem maquiagem diariamente para trabalhar, não vão ficar sem. Mesmo em tempos de crise. E os perfumes? Também não. Talvez não se compre tanto quanto em tempos de vacas gordas, mas, o raciocínio é que a frequência de compra de tais produtos é de meses, e não diariamente. Portanto, se é chegado o momento de se repor o produto, se repõe. Até porque, em tempos de crise as pessoas consomem menos, e, em consequência disso, ficam mais suscetíveis ao desânimo, à desesperança. Ou seja, é nestes momentos que elas precisam se colocar pra cima. E estes produtos as deixam mais bonitas e as fazem se sentir mais desejadas.

O perfume e a personalidade

 

O perfume compõe a personalidade do indivíduo, e substitui-lo não é uma atitude que as pessoas adotem com facilidade.
Por isso, crises geralmente não afetam o ramo da beleza e da perfumaria. Quem investe neste ramo tem sempre a fidelidade dos clientes. Periodicamente eles retornam. Homens e mulheres preferem economizar nos produtos de consumo diário, porque consideram que estes são produtos de consumo mesmo. Mas, aqueles que são comprados duas ou três vezes ao ano, ah, isto não é consumo. É investimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *